Vou viajar sem meus filhos. E agora?

Para muitas mães pensar em viajar sem os filhos é algo assustador e até mesmo impossível de acontecer, mas lembre-se que viajar sem os filhos faz muito bem para o relacionamento.
Com a chegada dos filhos os momentos a dois vão ficando cada vez mais difíceis, mas não podemos esquecer que são necessários, pois mesmo conseguindo dar uma escapadinha para um jantar ou cinema o tempo sem as crianças parece nunca ser suficiente para resgatar esse momento só do casal.
Por isso, é tão importante fazer viagens a sós.

Hoje venho aqui contar pra vocês uma experiência bem contraditória e que ao mesmo tempo em que me deixou eufórica e feliz também me deixou apreensiva e culpada.

Fiz aniversário agora em maio e GANHEI de presente do maridão uma viagem a dois para nada menos do que Nova York (pausa para a minha cara de embasbacada com o presente). Na hora dei pulos de alegria e já me imaginei caminhando linda e formosa pela 5ª avenida com várias sacolas na mão e um sorriso de ponta a ponta…mas como num pesadelo ou filme de terror eu comecei a olhar para todos os lados da 5ª avenida, joguei as sacolas para o alto e gritei Ian…Lorenzo…cadê vocês… e infelizmente… era sim a tão temível culpa materna batendo a minha porta.

Sei que algumas de vocês vão me chamar de louca, mas tenho certeza que a maioria vai entender exatamente o que estou sentindo por dentro.

Acho mega importante resgatar a minha individualidade e também a nossa intimidade de casal. Pensar em aproveitar plenamente um café da manhã sem ninguém pedindo pra fazer cocô ou derrubando leite na mesa. Tomar banho de meia hora sem ninguém gritando “manhêeeee” na porta do banheiro. Isso é um sonho maravilhoso, mas que custa bem caro para uma mãe, pois ao mesmo tempo em que queremos e desejamos tudo isso também queremos os filhos grudados e embaixo de nossas asas maternas.

Então estou preparando diversas táticas para me deixar tranquila para curtir essa viagem maravilhosa e vou dividir com vocês essas dicas para as mamães que estão pensando em passar por essa aventura de viajar sem os filhos. Depois eu volto pra contar se deram certo…rsrsrsrs:

1) Deixar as crianças com alguém que você CONFIA e que terá responsabilidade e carinho com eles:

Aqui em casa eu e marido saímos bastante para passear só os dois e quem fica sempre com as crianças é a minha sogra em quem eu confio bastante e que meus filhos estão acostumados. Acredito que tendo a certeza de que estarão bem cuidados será mais fácil me “desligar” e curtir a viagem.

2)  Se possível, deixe os filhos em casa:

Pedi para minha sogra vir à minha casa, pois penso em mudar o mínimo a rotina das crianças. Cada um dormirá em sua caminha, tomará banho no seu banheiro e terá todos os brinquedos acostumados disponíveis. Além disso pedi a minha ajudante do lar para trabalhar normalmente nesses dias e fazer o almoço e os lanchinhos que já estão acostumados.

Também deixei a roupa infantil separada em gavetas em forma de conjuntinhos para que eles tenham mais autonomia na hora de se trocar.

Uma coisa a menos para que as crianças estranhem.

3)  Deixe para contar sobre a viagem sem muita antecedência:

Crianças menores (como o Lorenzo de 3 anos) não tem muita noção do tempo e contar muito antes faria com que ele ficasse ansioso com muita antecedência. Então ele ainda não sabe da viagem…devo começar o assunto em breve quando faltarem 3 dias para a viagem.

O Ian (10 anos) já sabe da nossa viagem e tem exata noção de quanto tempo falta e também de quanto tempo vamos ficar fora. Ele está adorando ideia de ficar com minha sogra e com a prima que vem junto, mas de vez em quando aparece no meu quarto com cara de quem comeu e não gostou e diz que vai sentir muito a nossa falta, mas que vai obedecer a vovó e ajudar a cuidar do irmãozinho.

Aliás, um dos pontos que me deixa tranquila é saber que os dois estarão juntos e terão um ao outro para momentos de saudades ou de alguma dificuldade.

4) Montagem de um painel:

Vi essa idéia em um dos grupos maternos que participo e adorei a brincadeira. Consiste em montar um painel de EVA, cartolina ou o material que vc tiver em mãos. Essa é uma ideia divertida para que as crianças tenham noção de quantos dias os pais ficarão fora.

Vou montar o painel com os dias da semana e com as atividades que eles fazem como natação, futebol, aula de violão, inglês e escola. Minha idéia é que eles pintem ou risquem os dias que forem passando e com isso tenham noção, de forma lúdica e divertida, quantos dias ainda faltam para que mamãe e papai voltem pra casa.

5) Tente ao máximo não mudar a rotina:

O ideal é orientar quem cuidará das crianças para que haja o mínimo de alteração nos horários de comer, dormir e tomar banho. Já sabemos que a rotina traz segurança para a criança e se eles se sentirem seguros mais chances de tudo correr bem.

Estou deixando uma lista para a minha ajudante do lar com os dias da semana e o que ela deve fazer de almoço e também tudo que será colocado na lancheira das crianças. Vou deixar  supermercado e varejão feitos para que nada falte.

6) Documentos e carteirinhas na mão do responsável:

Fiz uma pastinha com todos os documentos das crianças, entre eles certidão de nascimento, RG, carteirinha do plano de saúde e telefone fixo e celular do pediatra.

Também avisei na escola sobre a minha viagem e fiz uma lista de pessoas que terão autorização para pegar as crianças na escola. Além de telefones de tias, vovô e outras pessoas importantes.

7)  Comunicação com as crianças:

Hoje existem diversas formas de se comunicar com a família de forma bastante econômica. Podemos falar por Skype, whatsapp, Facetime e celular.

Essa é uma tática que ainda vou testar com meus filhos. Escuto muitas mães que fizeram e deu certo e outras que fizeram e foi um verdadeiro desastre.

A idéia é testarmos por Whatsapp em vídeo no primeiro dia e dependendo da reação deles continuaremos com a comunicação ou não.

8) Esteja, de alguma forma, presente: 

Existem diversas maneiras de se estar presente mesmo estando longe e é uma das coisas que pretendo fazer nessa viagem.

Além dos telefonemas e whatsapp pensamos em uma forma de estar presente fisicamente e a forma escolhida foi com mini surpresas todos os dias.

Fui em uma loja de R$1,99 e comprei presentinhos bem baratinhos e embrulhei um a um. Entreguei para minha ajudante do lar e pedi a ela pra colocar todos os dias um presentinho em cada cama quando eles forem pra escola (período da tarde). Quando chegarem da escola vão encontrar esse presentinho com um bilhetinho nosso dizendo que faltam x dias para nossa volta e algumas frases de amor e carinho.


9) Deixe uma programação de lazer para as crianças

Aqui em casa durante a nossa viagem vai ter um final de semana, pois ficaremos 7 dias fora.

Então programamos com os dindos passeios diferentes para fazerem com os primos e os outros avós.

É uma forma do tempo passar mais rápido e de forma mais divertida.

O ideal é deixar organizado um guia de atividades para orientar a pessoas que ficará responsável pelos seus filhos.

Ufa…acho que pensei em tudo…ou não? Rsrsrsrs… se tiverem sugestões podem deixar nos comentários que serão muito bem vindas.

Tenho certeza que terão momentos em que vamos MORRER de saudades dos pequenos e outros em que vamos aproveitar ao máximo esse momento só nosso.

Espero que o texto tenha sido útil pra você e possa ser para outras mamães. Compartilhe e deixe seu comentário sobre sua experiência. 

Beijos e até o próximo papo!

Sou Marília Tannuri Verni.

Mãe de 2 meninos,

publicitária, idealizadora do portal Grávida em Campinas

e proprietária da loja infantil on line Petit Papillon Bebê & Criança.

Uma apaixonada pelo universo infantil e por todas as chances que a maternidade nos proporciona.

Sobre

Mãe de 2 meninos, publicitária, idealizadora do portal Grávida em Campinas e proprietária da loja Petit Papillon Bebê & Criança. Uma apaixonada pelo universo infantil e por todas as chances que a maternidade nos proporciona.

Artigos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redes Sociais

siga nosso @ instagram